© 2017 por Develop Educação Financeira

www.developeducacaofinanceira.com.br

  • White Facebook Icon
  • White Instagram Icon

Fluxo de Caixa: a bolsa de cristal das empresas

13.01.2017

Vem se tornando cada vez mais comum empreendedoras encontrando dificuldades em controlar as finanças das suas empresas e, com isso, vem os problemas financeiros, que, muitas vezes, somente são percebidos quando cheques começam a voltar ou não possuem caixa pra pagar os funcionários e fornecedores. Muitas vezes a empresa está apresentando lucro, mas há desencaixe no caixa, fruto de um ciclo financeiro inadequado.

Sabemos que a área financeira é uma área estratégica em qualquer organização, portanto não podemos deixa-la de lado nem por um momento, pois podemos pagar um preço alto demais por isso.

 

Com cada vez mais prazos diferenciados de pagamento aos fornecedores e recebimentos dos clientes, fica difícil controlar as entradas e saídas de caixas sem uma boa ferramenta.

Para entender e acompanhar as finanças da sua empresa é fundamental a utilização da ferramenta chamada  Fluxo de caixa, que nada mais é que um instrumento gerencial que informa e controla todas as movimentações financeiras (entradas e saídas de valores) diariamente. É composta de todos os elementos que representam as movimentações de recursos financeiros da empresa:  contas a pagar, contas a receber, faturamento, aplicações financeiras, dividas, etc.

O fluxo de caixa é uma ferramenta de gestão financeira que funciona como uma “bola de cristal”, pois permite enxergar o futuro financeiro da sua empresa.

Com ele torna-se possível fazer projeções de caixa, e esta é a sua grande utilidade:  possibilitar a identificação das sobras e faltas no caixa, permitindo à empresa planejar melhor suas ações futuras.

 

Conhecendo as datas futuras de entradas e saídas da empresa você poderá identificar quando vai sobrar ou faltar dinheiro no caixa da empresa, podendo programar melhor suas ações.

 

  1. Falta de recursos: é hora de revisar as estratégias da empresa, considerando a possibilidade renegociação de pagamentos com fornecedores (muitas vezes somente alterar a data de vencimento é o suficiente); revisar os prazos concedidos aos clientes; fazer uma promoção da mercadorias; trabalhar com estoques mínimos; planejar melhor as compras, etc.

 

  1. Sobra de recursos: A empresa poderá programar a sua aplicação em estoques, mercado financeiro, ações de marketing, ações de vendas, investimentos na empresa, expansão dos negócios, etc. Pode ainda antecipar o pagamento de obrigações mediante desconto financeiro.

 

Atenção: não esqueça de verificar a situação do caixa no curto, médio e longo prazo, pois a sobra de hoje pode passar a ser falta de recursos de amanhã.

A implementação do relatório é uma tarefa sem grandes dificuldades, porém, cabe salientar que a manutenção de um fluxo de caixa requer que os dados sejam constantemente atualizados com cuidado, pois, somente assim terá utilidade e será confiável para tomar decisões.

 

Fique atenta: saldo negativo não significa prejuízo. Saldo negativo significa que a empresa está  com desencaixe de caixa. Prejuízo é resultado de custos e despesas maiores do que as vendas.

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload